Como melhorar a taxa de atratividade na minha empresa?

Nova call to action

Os indicadores de desempenho ou KPIs (Key Performance Indicators) caíram no gosto de empresas das mais diversas áreas. Permitindo uma administração mais inteligente por meio do acompanhamento da evolução de processos e projetos, eles também se tornaram indispensáveis no setor de Recursos Humanos.

O RH, responsável basicamente por gerir as pessoas de forma estratégica dentro de uma organização, precisa definir as suas métricas para garantir uma gestão mais eficiente e eficaz. Um dos indicadores que exige bastante atenção é a taxa de atratividade. Atrair talentos é um dos grandes desafios do RH nos tempos atuais.

De acordo com a pesquisa Global Talent Management and Rewards Survey realizada no fim de 2016 pela Willis Towers Watson, muitas empresas vêm enfrentando dificuldades na atração de profissionais de alto desempenho e de alto potencial, chegando a um número de 84%.

No artigo de hoje, será explicado o conceito de taxa de atratividade, o seu impacto na organização e ainda como melhorar esse indicador. Continue lendo!

O que é taxa de atratividade?

A taxa de atratividade é uma métrica que indica o quão a empresa tem se mostrado atrativa para profissionais perante o mercado competitivo. Ou seja, se a instituição se destaca em relação às outras de forma que as pessoas queiram trabalhar nela.

Melhorar esse indicador é considerado um desafio, visto que depende de um conjunto de fatores. É necessário alinhar elementos distintos como plano de carreira, cultura organizacional e benefícios corporativos, a fim de criar uma imagem positiva no mercado de trabalho.

Aproveite para baixar o nosso modelo para apresentação de indicadores de RH. Clique na imagem abaixo:

Apresentação Indicadores de RH

Qual o seu impacto da taxa de atratividade na empresa?

Ao utilizar um indicador de recursos humanos, é possível atingir duas finalidades principais. A primeira é conhecer a atual situação da instituição e as circunstâncias em que ela se encontra. E a segunda diz respeito à possibilidade de análise profunda desse cenário, com o objetivo de identificar falhas a serem corrigidas.

Com a taxa de atratividade, não é diferente. Tendo essa métrica em mãos, o gestor passa a saber como a empresa é vista pelos profissionais do mercado. Dessa forma, fica mais fácil descobrir o que deve ser mudado e/ou corrigido, auxiliando em uma tomada de decisões mais assertiva.

É importante lembrar ainda que a taxa de atratividade exerce forte influência em outros indicadores que também devem ser mensurados pelo setor de RH, como o turnover ou o tempo médio de empresa.

Como melhorar a taxa de atratividade?

Como mencionado anteriormente, melhorar esse indicador exige equilíbrio entre uma série de fatores. Aqui, citaremos os principais de acordo com a pesquisa Global Workforce Study, também promovida pela WillisTowers Watson.

Um fator-chave é o plano de carreira. Empresas que oferecem e comunicam oportunidades de crescimento sólidas e consistentes tendem a atrair muitos profissionais. A remuneração e os benefícios oferecidos também são relevantes, sendo que ambos devem ser competitivos e justos.

Um clima organizacional agradável é outro grande fator de atração. Por fim, temos a estabilidade no emprego, que ainda preocupa muitos profissionais, sendo um dos critérios mais citados pelos profissionais para se juntarem a uma nova empresa.

Lidar com seres humanos é algo bastante complexo e subjetivo, mas os indicadores de desempenho podem facilitar esse trabalho. Uma gestão de pessoas com foco na taxa de atratividade pode conferir à empresa um time de colaboradores de alta performance, agregando potencial de crescimento ao negócio. Sendo assim, é indispensável adotar medidas que melhorem as taxas de atração e retenção de talentos.

Gostou do artigo? Siga-nos em nossas redes sociais — Facebook e LinkedIn — e mantenha-se sempre atualizado!

Nova call to action
Nova call to action
Nova call to action