Departamento de RH: o que é, o que faz e qual seu papel?

Nova call to action

O departamento de RH é um dos mais importantes para o sucesso nos negócios. Estudos indicam que empresas com boas práticas de RH têm desempenho, em média, 51% superior aos índices das bolsas de valores dos seus respectivos mercados.

No entanto, ainda existem muitas dúvidas que rodeiam o assunto. O que é, o que faz e qual seu papel? São algumas perguntas. O setor de RH tem obtido certa proeminência nos últimos anos, talvez por sua transição digital ou por seu modelo estratégico de trabalho.

E por falar em transição digital, que tal aproveitar um dos nossos recursos e ouvir esse conteúdo? É só dar o play abaixo.

 

Hoje queremos propor uma análise mais clara desse setor. Explicar suas principais áreas, funções e sua importância para o desenvolvimento organizacional por meio do acompanhamento das principais métricas da área.

E, para te ajudar neste acompanhamento, você pode baixar a nossa apresentação mensal de indicadores de RH

Afinal, o que é departamento de RH?

A sigla RH significa Recursos Humanos e pode indicar duas principais coisas: o capital humano que está presente na empresa, isto é, os empregados, ou o departamento de RH, um dos setores mais tradicionais e antes chamado de Departamento Pessoal (DP).

Vamos focar no segundo caso, o RH como um setor. Existem muitas formas de imaginá-lo. É interessante pensar no RH como um elo, afinal, ele une o empregado e seu empregador. Assim, garante que ambos tenham seus interesses, direitos e deveres representados.

No entanto, ainda não é suficiente. A atuação do RH vai além das questões operacionais e burocráticas. Atualmente, o RH também deve ser visto como um setor estratégico, que gerencia as pessoas para que resultados fora do lugar-comum sejam conquistados.

O que faz o departamento de RH?

Em geral, faz muita coisa. Desde atividades mais burocráticas, como criar um contrato de trabalho, até as estratégicas, como criar novos programas de desenvolvimento e sucessão de líderes. Em suma, ele garante que os seis principais processos da gestão de pessoas — agregar, aplicar, recompensar, desenvolver, manter e monitorar — sejam cumpridos.

Recruta e seleciona talentos

O primeiro processo, agregar pessoas, é geralmente executado por meio do recrutamento e seleção. O objetivo é fazer com que pessoas novas, com competências comportamentais e técnicas adequadas à empresa façam parte do time de trabalho.

Entretanto, não é a tarefa mais fácil. Existe certa escassez de mão de obra qualificada no mercado global, fazendo com que o departamento de RH precise contar com boas táticas e tecnologias para atrair e contratar talentos. No fim, porém, toda empresa é beneficiada.

Integra os recém-contratados

Também é preciso aplicar pessoas, isto é, fazê-las se sentir realmente parte do time. Quando um talento é contratado e não é integrado, ele poderá demorar muito mais para entregar bons resultados e se sentir parte de algo maior. Isso gera efeitos negativos.

Existem muitas formas de fazer essa integração e cada RH deve usar a que melhor se adapta à cultura organizacional. No entanto, é sempre interessante contar a história do empreendimento e apresentar as instalações e profissionais-chave dentro da empresa.

Recompensa pelos resultados

O terceiro processo é recompensar pessoas, que também está à cargo do RH. É preciso estabelecer critérios para que os profissionais mais proeminentes recebam algum tipo de recompensa, pode ser uma bonificação financeira, premiação ou até promoção.

Na verdade, por vezes, o simples reconhecimento é uma grande recompensa. Profissionais reconhecidos por seu superior imediato experimentam um maior grau de motivação. Logo, cabe ao RH criar boas políticas para reconhecer e recompensar os empregados.

Desenvolve os profissionais

Não é muito producente contratar novos profissionais e mantê-los, ano após ano, com as mesmas competências. Isso resultaria em pessoas e áreas pouco competitivas, logo, uma empresa fadada ao insucesso. É função do RH desenvolver os profissionais.

Felizmente, hoje, existem muitos meios para o treinamento e desenvolvimento do time. A tecnologia permite capacitações a distância (EAD), feitas por meio de computadores ou dispositivos móveis. Assim, de maneira flexível, todos os empregados podem crescer.

Mantém as pessoas certas

É função do RH garantir que as pessoas certas continuem na empresa. Isso significa que algumas poderão ser promovidas, outras realocadas ou demitidas da firma. Para decidir com acerto, é preciso de uma boa avaliação de competências e de desempenho.

A ferramenta “4 tipos de colaboradores de Jack Walch” é ótima para analisar quem merece ficar e sair. Ela relaciona dois fatores — alinhamento com os valores da empresa e entrega de resultados — para definir quem deve ser recompensado, mantido, treinado ou demitido.

Monitorar os resultados

O departamento de RH deve sempre monitorar os resultados obtidos. Isso ajuda a avaliar se o desempenho atual está satisfatório e em que pode ser melhorado, o que permite uma espécie de melhoria contínua. Ou seja, é preciso monitorar para melhorar.

Há várias formas de monitorar o desempenho. Para profissionais ou equipes, há avaliações em 360 e 180 graus. Já para averiguar a própria performance do RH, é preciso contar com métricas e indicadores de desempenho — muitas, podem ser obtidas no sistema de gestão.

Qual é o papel do departamento de RH frente à organização?

À vista de todas essas funções, não resta dúvida: o RH tem um papel-chave para o êxito da organização. Sem um departamento que agregue, direcione e estimule os profissionais, os resultados alcançados seriam abaixo do esperado (portanto, insatisfatórios).

Não por acaso, hoje, o RH não tem mais papel de setor “à parte”, responsável apenas por dar suporte aos líderes de áreas como vendas ou marketing. Ele trabalha diretamente com a alta administração, ajuda a definir objetivos genéricos e traçar estratégias de negócios.

A ausência de setor de recursos humanos poderia somar graves prejuízos para o negócio, como a rotatividade dos empregados talentosos – seja na forma de turnover ou de absenteísmo -, o maior índice de retrabalho e perda de produtividade. Logo, toda a empresa — nos vários níveis e áreas — seria prejudicada.

Por outro lado, um RH bem estruturado agrega muitas vantagens ao negócio. A atração de profissionais, o desenvolvimento de novas competências e a manutenção dos empregados certos, por exemplo. Quanto mais estruturado o RH, melhores os resultados da empresa.

Enfim, não é difícil entender o que é RH, o que faz e qual seu papel. Mas é preciso entender uma coisa importante: o setor de recursos humanos é o principal responsável pela gestão de pessoas, mas não o único. Cada líder imediato e toda a alta administração também tem a responsabilidade de agregar, direcionar e estimular as pessoas na busca por resultados.

Quer saber muito mais sobre departamento de RH? É simples: assine a nossa newsletter e receba novos artigos diretamente em seu e-mail. Vamos lá!

Nova call to action
Nova call to action
Nova call to action

Quer transformar seu R&S e admissão? Preencha o formulário abaixo e mergulhe nesse conteúdo gratuito e cheio de aprendizados sobre R&S e Admissão Digital.