Entenda a relação entre gestão de talentos e EVP

Nova call to action
Nova call to action

Gestão de talentos e EVP são instrumentos que precisam caminhar juntos para que o RH desempenhe seu papel estratégico. Afinal, ambos são determinantes para aumentar o capital humano da organização.

O problema é que muitos gestores têm dúvidas sobre como funciona essa relação e, portanto, encontram dificuldades para desenvolver bons planos para melhorar a performance da área. 

Neste conteúdo, esclarecemos o tema com informações relevantes para que você entenda o papel da EVP na gestão de talentos de uma vez por todas. Não deixe de conferir!

Entenda o que é Employee Value Proposition (EVP)

Quando o assunto é a disputa pelos melhores profissionais, a primeira coisa que vem à mente de muitos gestores é a competitividade salarial. Contudo, nem sempre o que mais importa é o dinheiro, especialmente para os talentos.

Uma empresa pode oferecer 20% a mais e perder para outra, porque não tem um plano de carreira. Pode ser também que o concorrente — assim como Google, Starbucks e Magazine Luiza — tenha uma marca empregadora, e isso pesa na decisão.

Nesse sentido, o EVP é um conceito mais amplo e, como a própria tradução já diz, considera a proposta de valor para o empregado como um todo: salário, benefícios, identificação com a marca, fit cultural, oportunidades de crescimento e diversos outros fatores.

Uma analogia comum é pensar o colaborador como um cliente. Em um primeiro momento, a organização precisa veicular uma proposta com diferentes apelos para chamar a atenção do então candidato. Posteriormente, após a contratação, ela deve adotar meios para entregar valor com o objetivo de fidelizar e reter. 

Veja os principais benefícios da EVP para sua empresa

Contar com uma proposta de valor atraente é como ter um bom produto, que pode ser, até mesmo, associado a uma marca empregadora. Embora isso por si só não garanta o sucesso, é um grande passo para contar com profissionais qualificados nas equipes. Não por acaso, as empresas que investem tempo e recursos para desenvolver uma EVP costumam colher benefícios importantes.

Ser mais competitivo em recrutamentos externos

Quando o candidato observa as opções disponíveis, a proposta de valor da empresa será um dos fatores críticos de decisão. Isso, em conjunto com boas práticas de recrutamento e seleção de pessoas, é um instrumento poderoso para atrair os profissionais mais qualificados. 

Reduzir custos de contratação

A estratégia de competir pura e simplesmente com salários pode levar a gastos excessivos e evitáveis na contratação de pessoas. Assim, principalmente as propostas construídas com pontos não materiais — como missão, valores, realização profissional e autonomia — minimizam despesas.

Melhorar a marca empregadora

Se, de um lado, a marca empregadora contribui para que a proposta seja vista com outros olhos, de outro, a EVP é um dos elementos que tornam uma empresa um bom lugar para trabalhar. Logo, são aspectos que se completam.

Fortalecer a cultura organizacional

A proposta de valor funciona como um artefato da cultura organizacional, ou seja, um componente externo que reafirma valores compartilhados e pressuposições básicas.

Conheça a relação entre gestão de talentos e EVP

A gestão de talentos é uma área que visa ao aumento do capital humano, desenvolvendo o potencial dos colaboradores. Com isso, seu desempenho contribui para criar vantagens competitivas para a empresa: condições favoráveis para concretizar a estratégia de negócios.

Por sua vez, a EVP está relacionada às entregas de valor que o RH faz para os colaboradores atuais e que promete para os candidatos. Assim, é possível identificar pontos de proximidade entre as duas ferramentas.

O primeiro deles é que os talentos não vêm de graça. Para contar com profissionais de grande potencial, a gestão precisa trabalhar o que será concedido em troca, e isso é proposta de valor.

Por outro lado, investimentos em recrutamentos diferenciados, treinamentos, planos de cargos e salários e incentivos são elementos que melhoram a EVP. Logo, um influencia o desempenho do outro.

Em resumo, é possível dizer que a proposta de valor para o empregado é um instrumento à disposição da gestão de talentos e que contribui com seus objetivos. Ao trabalhar esse ponto, os profissionais de RH atuam de maneira estratégica para aumentar o capital humano da organização. 

Na sequência, confira as vantagens de combinar gestão de talentos e EVP!

Eliminar gaps de competência

Reduzir a distância entre as competências percebidas nos colaboradores e as necessárias para concretizar os objetivos de cargos, carreiras e planos de negócio.

Aqui, a EVP facilita o trabalho da gestão de talentos, porque é mais fácil qualificar se você recrutou e manteve bons profissionais.

Ademais, diversas recompensas para o desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes estão ligadas à proposta de valor, como benefícios, plano de carreira e aumentos salariais. 

Minimizar o turnover

Ter uma EVP competitiva também significa defender a empresa de interessados nos seus profissionais e, mais importante, aumentar a satisfação para que os colaboradores queiram permanecer.

Os reflexos são sentidos nos indicadores que mensuram essa retenção de profissionais, principalmente com a redução dos índices de turnover.

Atrair talentos

Um terceiro ganho é a competitividade da organização para buscar os profissionais com maior potencial, principalmente quando a disputa ocorre por pessoas-chave, como especialistas e executivos.

Um ponto interessante é que boa parte da oferta destinada aos candidatos consiste em documentar as políticas da própria gestão de talentos. Afinal, a preocupação com o desenvolvimento de pessoas já é um diferencial.

Evitar a acomodação

Um dos desafios da gestão de talentos é que, por vezes, a empresa investe em um profissional, mas ele não se compromete o suficiente para alcançar os patamares de desempenho esperados, especialmente quando o alvo são os níveis de excelência.

Para superar a acomodação, a proposta pode ser pensada de maneira proporcional às realizações na empresa, como ocorre com planos de cargos e salários e concessão de benefícios por metas. Assim, os talentos terão sempre objetivos individuais para seguir em frente.

Contribuir com o clima organizacional

Ao pensar o colaborador como um cliente, também é importante considerar a transformação do profissional em alguém que se importa e defende sua marca. Isso é feito, à medida que a proposta é tirada do papel, com entregas de valor no dia a dia.

As consequências, a partir de então, são bastante positivas. Além de indicadores individuais, como de absenteísmo e de produtividade, é possível perceber o reflexo da satisfação no ambiente e nas interações de trabalho.

Sendo assim, combinar gestão de talentos e EVP é uma estratégia relevante para gerar melhorias internas e beneficiar o capital humano da empresa. Invista nessas áreas para contribuir com o sucesso da sua organização.

Então, o que você achou? Se quiser ajuda para definir uma estratégia e potencializar a EVP nos recrutamentos da sua empresa, entre em contato com nossa equipe hoje mesmo!

Nova call to action
Nova call to action
Nova call to action