Garantir contratações de sucesso é uma das missões centrais do setor de RH, já que essas admissões são essenciais para o crescimento e o fortalecimento do negócio. E, nesse cenário, o onboarding no RH tem uma função muito importante.

É a partir dele que os novos colaboradores poderão se adaptar com mais facilidade aos processos organizacionais. Caso contrário, qualquer erro pode gerar vários riscos, como o desligamento precoce do colaborador ou a queda de produtividade.

Desenvolver um bom onboarding no RH é uma das formas de fortalecer o employer branding da sua empresa. Para te ajudar nessa tarefa, baixe o nosso manual para desenvolver a marca empregadora.

Já pensou em ter esse conteúdo de um jeito novo? Clique no player abaixo e ouça!

O que é onboarding?

A tradução literal do termo inglês onboarding significa “embarcando”. No meio corporativo, essa denominação diz respeito a uma série de processos pelos quais os novos contratados passam ao serem efetivados pela empresa. Seu objetivo, no geral, é promover a socialização desses funcionários com as rotinas, os valores e a cultura organizacional.

Devido à sua importância, o onboarding deve ser uma das prioridades do RH. Isso porque um processo de integração planejado e monitorado favorece que esses novos membros da equipe sintam-se mais acolhidos, e possam desempenhar suas funções de maneira eficiente e gradativa.

Como funciona o onboarding no RH?

Basicamente, ele funciona por etapas. Então, vamos a elas!

Transmitir as informações essenciais ainda no processo seletivo

É importante passar dados como benefícios, período de experiência, salário, data de início das atividades e outras questões como essas logo no começo do processo seletivo. Assim, o candidato já vai se inteirando melhor da empresa ao longo da seleção, podendo inclusive tirar algumas dúvidas — o que garante que ele está mesmo interessado na oportunidade ao final do processo.

Preparar a chegada

Também é importante avisar ao gestor da área (e à sua equipe) sobre a contratação do novo colaborador. Isso é primordial para a valorização e integração social dele.

Além disso, esteja certo de que todas as questões que envolvem a estrutura da empresa foram acionadas para recebê-lo: senhas, e-mail, computador, espaço para o trabalho, e tudo mais que for necessário. E não se esqueça ainda da agenda de treinamentos, para garantir que o conteúdo seja atualizado de forma prévia e projetada.

Estruturar o processo de integração

O processo de integração deve ser bem estruturado para receber os novos colaboradores. Isso envolve questões como os valores da empresa, os objetivos do negócio e os desafios cotidianos, que devem ser apresentados de forma orgânica ao profissional, para evidenciar qual será o papel dele dentro da organização.

Aproveite esse momento para falar de questões práticas também, como rotinas de departamento pessoal, segurança na empresa, uniformes ou trajes indicados para o trabalho, entre outras questões. Todas essas informações ajudam a evitar situações que possam causar desconforto para o colaborador, ou mesmo evitar que ele transgrida alguma regra simplesmente por não conhecê-la.

Fazer um tour pela empresa

Apresente toda a estrutura física da empresa para que o novo colaborador se sinta acolhido por ela e possa se situar nesse novo ambiente. Vale dizer, inclusive, que essa visitação guiada é importante até nas pequenas empresas, pois faz com que o profissional possa já se familiarizar com o espaço.

Apresentar o setor de trabalho

Além de conhecer a empresa, é importante dar uma atenção especial para a apresentação do setor em que o novo colaborador trabalhará. Para isso, o mais apropriado é que o RH e a liderança desse setor atuem juntos, transmitindo as informações mais relevantes, como metas e projetos.

Escolher um funcionário para auxiliá-lo

Mesmo com todo esse preparo, são muitas informações para se absorver no primeiro dia de trabalho. Por isso, é importante que o novo colaborador seja assessorado por um colega mais experiente. Ele poderá esclarecer dúvidas e orientar quanto aos primeiros procedimentos de trabalho, além de servir como referência nesses momentos iniciais.

Bom, como vimos, são muitos os detalhes do processo de onboarding. Por fim, é recomendado criar ainda uma cartilha com as principais informações da empresa. Esse material poderá ser consultado sempre que necessário pelo novo funcionário.

Qual é a importância do onboarding no RH?

Como já comentamos, um processo de onboarding bem estruturado é capaz de levar vários diferenciais e vantagens competitivas para as organizações. Destacamos, abaixo, as principais delas. Acompanhe!

Retenção de talentos

A redução do turnover é um dos principais desafios das organizações atualmente. Para garantir a retenção de talentos, as políticas de RH se valem de vários recursos para engajar os colaboradores nos objetivos organizacionais.

Ainda assim, para que essas ações tenham sucesso é preciso criar uma estratégia — algo que é possível com o onboarding. Ao diferenciar a cultura organizacional, ele permite usar o que a empresa tem de melhor para atrair e manter os seus talentos.

Aumento do engajamento dos profissionais

Um dos fatores determinantes para o sucesso de um negócio é o engajamento dos seus colaboradores. Quando há uma nova admissão, portanto, o ponto mais relevante é o engajamento desse candidato ao resto da equipe. Ao somar esforços para integrar esses profissionais, a empresa estimula o engajamento deles e aumenta as chances de sua permanência.

Crescimento do negócio

Um processo de onboarding eficiente favorece também o embasamento da cultura corporativa e ajuda a alinhar e fortalecer todos os relacionamentos no ambiente de trabalho. Nesse sentido, é possível envolver os colaboradores nas metas do negócio para que ele se torne mais rentável e produtivo — o que é bom para todos.

Alinhamento às propostas organizacionais

Por fim, o onboarding ainda tem a função de educar e expor aos novos colaboradores questões importantes sobre as propostas da empresa. Para isso, o RH pode estruturar uma reunião entre liderança e contratados.

O objetivo é fornecer orientações acerca de como agir para evitar equívocos comuns nos momentos iniciais nas empresas. Isso também colabora, no entanto, para que os novos funcionários possam realizar as suas tarefas de forma mais ágil.

Como vimos ao longo deste post, o onboarding no RH é um processo fundamental para alinhar os novos colaboradores às rotinas organizacionais. E é o sucesso dessa iniciativa que garante importantes resultados para a empresa.

Então, gostou da leitura? Agora, aproveite para conferir também este artigo sobre tarefas do RH!

No votes yet.
Please wait...