Como atrair talentos pela responsabilidade social

Independente do contexto econômico, toda empresa busca os melhores candidatos para preencher suas posições. Quando olhamos para o preenchimento de posições que demandam conhecimentos específicos, a guerra por talentos já é uma realidade.

A Harvard Business Review, em parceira com a Siemens, publicou um artigo sobre como a responsabilidade social das empresas pode auxiliar na atração e no engajamento de jovens talentos. Iremos colocar aqui os principais pontos deste artigo.

Você pode também acessar a íntegra do texto aqui.

Alterações no contexto do mercado de trabalho

Com a redução das taxas de natalidade, diversos países, incluindo o Brasil, enfrentarão escassez de jovens profissionais no futuro. Simultaneamente, observamos o ganho da importância das atividades baseadas em conhecimento como, por exemplo, programação e automação.

Sem dúvida, este contexto coloca o desenho de boas estratégias de atração de talentos como fundamental para a manutenção da competitividade das empresas, posicionando as organizações como “Employer of Choice” (empregador preferido) entre os jovens.

“Para ganhar esta nova guerra por talentos, líderes [das organizações] sabem que necessitam tornar-seemployer of choice‘ para que suas organizações consigam trazer os melhores e mais brilhantes para atuarem nos desafios e oportunidades da nova era.” Harvard Business Review

Apesar de ser um cenário futuro, este é um problema atual na gestão de talentos, uma vez que o employer branding requer tempo e elevado nível de alinhamento e coesão dentro da organização. Ao mesmo tempo, ainda se vê uma grande diferença entre o desejo e o praticado quando o assunto é gestão de talentos. Veja abaixo os números da pesquisa sobre a atração e a retenção de profisssionais nas organizações:

Atração de talentos

 

Quando trazemos para o contexto brasileiro, vemos uma grande oportunidade para empresas desenvolverem sua marca de empregadora (employer brand). Segundo pesquisa Empresa dos Sonhos dos Jovens, realizada pela Companhia de Talentos em parceria com a NextView, 48% dos jovens dizem não possuir uma empresa dos sonhos.

O que os jovens querem

O que os talentos buscam

 

“Eu gasto muito tempo trabalhando, e irei continuar trabalhando ao longo de minha vida, e quero construir minha identidade profissional em torno de uma causa em vez de (em torno de) uma empresa.”

Jenna Goodward

Alcançar a posição de empresa mais desejada entre os jovens, não é fácil. Além do retorno financeiro, os jovens buscam ter outras formas de compensação em seus trabalhos como significado no trabalho, oportunidade de crescimento pessoal e autonomia. A imagem e a citação acima refletem de forma simples a evolução das aspirações individuais, em especial, dos jovens e a evolução do que é esperado de seus empregadores.

Na pesquisa, os 7 pontos colocados como os mais importantes para a atração de talentos são apresentação abaixo:

 

o que talentos valorizam

 

A pesquisa Empresa dos Sonhos dos Jovens traz fatores similares para a atração de profissionais: desenvolvimento profissional, boa imagem no mercado, realização, desafios constantes e possibilidade de inovar foram colocados como os 5 principais motivos de escolha de uma empresa pelos jovens.

Gestão de talentos para criação de valor social

O estudo traz a gestão de talentos como um dos pilares para empresas serem percebidas como criadoras de valor social. Levantando três melhores práticas para a atração e retenção de profissionais:

  • Conectar o trabalho de cada colaborador à missão social da empresa, criando o senso de que o trabalho de cada um importa.
  • Repensar a forma de recrutamento, atraindo profissionais capazes de atuar frente a cenários incertos e complexos.
  • Reestruturar a forma de trabalhar, oferecendo autonomia, oportunidades de crescimento pessoal, flexibilidade para inovar e “propriedade” sobre projetos. Apesar da hierarquia ser necessária, estruturas muito hierárquicas podem comprometer o engajamento dos colaboradores.
No votes yet.
Please wait...